Sarah propõe novamente a “Reforma da Reforma litúrgica” em uma lição magistral em Roma

Tradução de Airton Vieira – O prefeito da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos pronunciou sua conferência sobre “O Silêncio e o primado de Deus na liturgia” nos atos de celebração do X aniversário do Motu Proprio Summorum Pontificum.

cardeal Robert Sarah, prefeito da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, participou nos atos de celebração do X aniversário do Motu Proprio Summorum Pontificum que tiveram lugar na Universidade Pontifícia Santo Tomás de Aquino de Roma. Continuar lendo

Anúncios

Liturgia Diária- 20/09/2017

QUARTA-FEIRA DAS QUATRO TÊMPORAS DE SETEMBRO

Festa de 2ª Classe- Missa Própria

As Quatro-Têmporas de Setembro são conjuntamente dias de jejum e momentos de jubilosa ação de graças. Lembram aos judeus a dupla promulgação da Lei, à saída do Egito e depois do cativeiro da Babilônia. Lembram aos cristãos a proteção permanente de Deus concedida ao seu povo, e a sua libertação. A ação de graças pelas colheitas do ano vai unir-se à evocação dos antigos benefícios de Deus. 


Páginas 670 a 675 do Missal Quotidiano.


Missa na Capela São Judas Tadeu às 18:30 horas.


LEITURAS

Leitura (Amós 9, 13-15)


O profeta Amós anuncia a restauração de Israel, depois do exílio, e a sua total reabilitação.


Leitura do profeta Amós.

É isto o que diz o Senhor: “Eis que vêm dias – oráculo do Senhor – em que seguirão de perto o que planta e o que colhe, o que pisa os cachos e o que semeia; o mosto correrá pelas montanhas, todas as colinas se derreterão. Restaurarei então o meu povo de Israel: reconstruirão as cidades devastadas e as habitarão; plantarão vinhas e beberão o seu vinho, cultivarão pomares e comerão os seus frutos. Implantá-los-ei no seu solo, e não serão mais arrancados da terra que lhes dei – oráculo do Senhor, teu Deus.” 

Epístola (Neemias 8, 1-10)


No regresso do exílio, a Lei, de novo solenemente promulgada, torna-se a constituição do povo e a garantia das bençãos de Deus.


Leitura do profeta Neemias. 

Naqueles dias, todo o povo se reuniu , como um só homem, na praça que ficava diante da porta das Águas, e pediu a Esdras, o escriba, que trouxesse o livro da Lei de Moisés, que o Senhor havia prescrito a Israel. O sacerdote Esdras trouxe a lei diante da assembléia de homens, mulheres e de todas (as crianças) que fossem capazes de compreender. Era o primeiro dia do sétimo mês. Esdras fez então a leitura da lei, na praça que ficava diante da porta da Água, desde a manhã até o meio-dia, na presença dos homens, mulheres e das (crianças) capazes de compreender; todos escutavam atentamente a leitura. O escriba Esdras postou-se num estrado de madeira que haviam construído para a ocasião; a seu lado encontravam-se, à direita, Matatias, Semeías, Anias, Urias, Helcias e Maasias; à esquerda, Fadaías, Misael, Melquias, Hasum, Hasbadana, Zacarias e Mosolão. Esdras abriu o livro à vista do povo todo; ele estava, com efeito, elevado acima da multidão. Quando o escriba abriu o livro, todo o povo levantou-se. Esdras bendisse o Senhor, o grande Deus; ao que todo o povo respondeu, levantando as mãos: Amém! Amém! Depois inclinaram-se e prostraram-se diante do Senhor com a face por terra. E Josué, Bani, Serebias, Jamin, Acub, Seftai, Odias, Maasias, Celita, Azarias, Josabed, Hanã, Falaías e outros levitas explicavam a lei ao povo, e cada um ficou no seu lugar. Liam distintamente no livro da lei de Deus, e explicavam o sentido, de maneira que se pudesse compreender a leitura. Depois Neemias, o governador, Esdras, sacerdote e escriba, e os levitas que instruíam o povo, disseram a toda a multidão: Este é um dia de festa consagrado ao Senhor, nosso Deus; não haja nem aflição, nem lágrimas. Porque todos choravam ao ouvir as palavras da lei. Neemias disse-lhes: Ide para as vossas casas, fazei um bom jantar, tomai bebidas doces, e reparti com aqueles que nada têm pronto; porque este dia é um dia de festa consagrado ao nosso Senhor; não haja tristeza, porque a alegria do Senhor será a vossa força.

Evangelho (Mc 9, 16-28)


Toda a doação a Deus supõe a expulsão de Satanás; é obra do próprio Deus e das armas espirituais, que a oração e o jejum nos fornecem.


Sequência do Santo Evangelho segundo Marcos. 

Naquele tempo, um homem dentre a multidão disse a Jesus: Mestre, eu te trouxe meu filho, que tem um espírito mudo. Este, onde quer que o apanhe, lança-o por terra e ele espuma, range os dentes e fica endurecido. Roguei a teus discípulos que o expelissem, mas não o puderam. Respondeu-lhes Jesus: Ó geração incrédula, até quando estarei convosco? Até quando vos hei de aturar? Trazei-mo cá! Eles lho trouxeram. Assim que o menino avistou Jesus, o espírito o agitou fortemente. Caiu por terra e revolvia-se espumando. Jesus perguntou ao pai: Há quanto tempo lhe acontece isto? Desde a infância, respondeu-lhe. E o tem lançado muitas vezes ao fogo e à água, para o matar. Se tu, porém, podes alguma coisa, ajuda-nos, compadece-te de nós! Disse-lhe Jesus: Se podes alguma coisa!… Tudo é possível ao que crê. Imediatamente exclamou o pai do menino: Creio! Vem em socorro à minha falta de fé! Vendo Jesus que o povo afluía, intimou o espírito imundo e disse-lhe: Espírito mudo e surdo, eu te ordeno: sai deste menino e não tornes a entrar nele. E, gritando e maltratando-o extremamente, saiu. O menino ficou como morto, de modo que muitos diziam: Morreu… Jesus, porém, tomando-o pela mão, ergueu-o e ele levantou-se. Depois de entrar em casa, os seus discípulos perguntaram-lhe em particular: Por que não pudemos nós expeli-lo?”

Liturgia Diária- 19/09/2017

SÃO JANUÁRIO E COMPANHEIROS, Bispo e Mártires

Festa de 3ª Classe- Missa “Salus Autem” com evangelho próprio

1-januarius-_girolamo_pesce-1767

São Januário e seus Companheiros mártires foram martirizados durante a perseguição de Diocleciano. São Januário, padroeiro da cidade de Nápoles e bispo de Beneventum , foi decapitado com seus diáconos e alguns outros. Na grande igreja em Nápoles são preservados um pouco do sangue de São Januário (também chamado de St. Gennaro ) em dois frascos de vidro, e também a cabeça. O sangue é congelado , mas a cada ano até o presente, ele se liquefaz quando colocado perto da cabeça do mártir. Este milagre foi verificado tanto por cientistas quanto por muitas pessoas piedosas e aprendidas . O cardeal Schuster, Arcebispo de Milão, foi capaz de observá-lo de perto e, como outros que estudaram isso, foi obrigado a confessar que não parece haver nenhuma explicação possível natural deste evento. Pode ser que desta forma Deus tem o prazer de mostrar ao povo de Nápoles que o sangue de seu grande Padroeiro ainda está ativo e poderoso aos olhos do Senhor, e também que, para com Deus, não há passado, mas tudo está presente e vive à Sua vista.

LEITURAS

Epístola (Heb. 10,32-38)

Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo aos Hebreus.

Irmãos: Lembrai-vos dos dias de outrora, logo que fostes iluminados. Quão longas e dolorosas lutas sustentastes. Seja tornando-vos alvo de toda espécie de opróbrios e humilhações, seja tomando moralmente parte nos sofrimentos daqueles que os tiveram que suportar. Não só vos compadecestes dos encarcerados, mas aceitastes com alegria a confiscação dos vossos bens, pela certeza de possuirdes riquezas muito melhores e imperecíveis. Não percais esta convicção a que está vinculada uma grande recompensa, pois vos é necessária a perseverança para fazerdes a vontade de Deus e alcançardes os bens prometidos. Ainda um pouco de tempo – sem dúvida, bem pouco -, e o que há de vir virá e não tardará. Meu justo viverá da fé. Porém, se ele desfalecer, meu coração já não se agradará dele (Hab 2,3s).

Evangelho (Mt 24, 3-13)

Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus.

Naquele tempo, indo Jesus assentar-se no monte das Oliveiras, achegaram-se os discípulos e, estando a sós com ele, perguntaram-lhe: Quando acontecerá isto? E qual será o sinal de tua volta e do fim do mundo? Respondeu-lhes Jesus: Cuidai que ninguém vos seduza. Muitos virão em meu nome, dizendo: Sou eu o Cristo. E seduzirão a muitos. Ouvireis falar de guerras e de rumores de guerra. Atenção: que isso não vos perturbe, porque é preciso que isso aconteça. Mas ainda não será o fim. Levantar-se-á nação contra nação, reino contra reino, e haverá fome, peste e grandes desgraças em diversos lugares. Tudo isto será apenas o início das dores. Então sereis entregues aos tormentos, matar-vos-ão e sereis por minha causa objeto de ódio para todas as nações. Muitos sucumbirão, trair-se-ão mutuamente e mutuamente se odiarão. Levantar-se-ão muitos falsos profetas e seduzirão a muitos. E, ante o progresso crescente da iniquidade, a caridade de muitos esfriará. Entretanto, aquele que perseverar até o fim será salvo.