Bento XVI: a Igreja tem urgente necessidade de pastores que resistam ao espírito da época

Para o Papa emérito, a Igreja se encontra em uma necessidade particularmente urgente de pastores convincentes que possam resistir à ditadura do espírito da época. E destaca que o cardeal entendeu que «o Senhor não abandona a sua Igreja, incluso quando o barco há assumido tanta água que está a ponto de tombar-se».

(Fidem in Terra/InfoCatólica)

Tradução de Airton Vieira

O funeral de Joachim Cardeal Meisner ocorreu esta manhã, sábado 15 de julho, na magnífica catedral de Colônia. Uma mensagem do Papa Francisco foi lida pelo Arcebispo Nikola Eterović, Núncio Apostólico na Alemanha. Para surpresa dos presentes, o Arcebispo Georg Gänswein, Prefeito da Prefeitura da Casa Pontifícia e Secretário Pessoal de Bento XVI, leu uma mensagem do Papa Emérito.

A seguir nossa tradução da bela mensagem de Bento XVI no Funeral de seu amigo próximo o Cardeal Meisner: Continuar lendo

Capítulo II – “PLACA DE IGREJA NÃO SALVA NINGUÉM!” [“Fora da Igreja não há salvação”]

“Com toda a probabilidade, o melhor do protestantismo somente sobrevi­verá no catolicismo.”

(Chesterton)

 

A questão anterior, a da unidade da Igreja, nos coloca outra não menos importante para quem se preocupa de fato com a sua salvação, e não somente com a sua.

A máxima titular é comum ouvir-se na boca dos que se habituaram a pro­testar: “Placa de igreja não salva ninguém”. Isso, desconfio, parece pertencer a quem desconfia de que no fundo esteja em uma canoa furada, ainda que leve o escafândrico[1] nome de “Associação Evangélica Fiel Até Debaixo D’Água”. Também nos faz lembrar uma personagem comum em tempos de paganismo generalizado, que se auto delatou ao deixar que um rei dividisse uma criança ao meio por saber não ser a sua[2] (cf. 1 Re III, 16-28). Continuar lendo

Do porquê de só três mistérios no Santo Rosário e não quatro

Artigo escrito por San Miguel Arcángel, Traduzido por Aiton Vieira.

Nota do Escritor: Muitas vezes nos preguntaram por que NÃO rezamos os mistérios de Luz (luminosos). Existem muitas razões e a vamos ir publicando por partes, pois procedem de diferentes fontes. O argumento mais forte é que o Santo Rosário tem caráter TRINITÁRIO. Assim sempre o entendeu a Santa Igreja Católica, e os maiores autores Marianos. Se agregamos um Mistério a mais se destrói sua significação TRINITÁRIA. Para maior aprofundamento e para os que queiram refutar os argumentos que não são nossos, lhes comentamos que até a forma de recitar o Pai Nosso foi mudado depois do CVII e muitos não o sabem. Pois a Igreja sempre rezou: “…e perdoai-nos as nossas DÍVIDAS, assim como nós perdoamos aos nossos DEVEDORES.” e não como se reza agora, mudando DÍVIDAS POR OFENSAS que não é o mesmo. Sem contar que na Missa Tradicional SÓ O SACERDOTE REZA O PAI NOSSO.

Fragmento “do Segredo admirável do Santíssimo Rosário” de São Luís Maria Grignion de Montfort.

O saltério ou rosário da Santíssima Virgem se compõe de três terços de cinco dezenas cada um, com o fim: 1.°, de honrar às três pessoas da Santíssima Trindade; 2.°, de honrar a vida, morte e glória de Jesus Cristo; 3.°, de imitar a Igreja triunfante, ajudar a peregrinante e aliviar a padecente; 4.°, de imitar as três partes do saltério, a primeira das quais mira a via purgativa; a segunda, a via iluminativa; a terceira, a via unitiva; 5.°, de enchermos de graça durante a vida, de paz na hora da morte e de glória na eternidade.


Fonte: http://adelantelafe.com/979553-2/