Lutero. Profeta ou Revolucionário? Pontos chave sobre um pensamento surpreendentemente atual

Tradução de Airton Vieira

Colunista Convidado: Martinho Lutero 500 Anos mais Tarde: Profeta ou Revolucionário? Pontos chave sobre um pensamento surpreendentemente atual

Neste dia se cumprem os 500 anos do protesto de Martinho Lutero em Wittenberg, com suas 95 teses. É frequente retroceder até aquele 31 de outubro de 1517 –dia em que supostamente Lutero pregou essas 95 teses na porta da Catedral – como o começo da Reforma Protestante, se bem não todos os historiadores compartem esta visão. De fato, o verdadeiro ponto de inflexão luterano não o haveremos de encontrar no protesto de Lutero contra as indulgências, mas em sua “Experiência da Torre” (ou “do banheiro”, como o expressou Lutero, cf. Conversas à mesa, 3232c), a qual representa o Durchbruch, o ‘fragmento convincente’ da Reforma que se tornou ‘oficial’ no ano 1520, quando Lutero compôs sua De captivitate babilonica Ecclesiae, oferecendo sua nova doutrina sobre os sacramentos em relação à graça. Continuar lendo

Anúncios

Liturgia Diária- 20/11/2017

SÃO FELIX DE VALOIS, Confessor

Festa de 3ª Classe- Missa “Justus”, com Coleta própria

images
 

São Felix parece ter sido um dos corajosos companheiros com que São João da Mata fundou a ordem dos Trinitários para a redenção dos cativos entre os Muçulmanos. Morreu em 1212 em Cerfroid, centro da Ordem, na diocese de Meaux. Certos hagiógrafos pouco escrupulosos afirmaram, sem fundamento algum, que São Félix pertencia à família de Valois. 

 
Oração (Coleta da Missa): Ó Deus, que Vos dignastes chamar do deserto por uma inspiração celeste o Vosso servo São Félix para lhe confiardes a obra da redenção dos cativos, fazei, Vos rogamos, que por sua intercessão obtenhamos de Vós a graça de sermos livres da escravidão de nossos pecados e de alcançarmos a pátria celeste. Por Nosso Senhor Jesus Cristo. Amém.

LEITURAS

Epístola (1 Cor 4, 9-14)

Leitura da Primeira Carta de São paulo Apóstolo aos Coríntios

Irmãos, ao que parece, Deus nos tem posto a nós, apóstolos, na última classe dos homens, por assim dizer sentenciados à morte, visto que fomos entregues em espetáculo ao mundo, aos anjos e aos homens. Nós, estultos por causa de Cristo; e vós, sábios em Cristo! Nós, fracos; e vós, fortes! Vós, honrados; e nós, desprezados! Até esta hora padecemos fome, sede e nudez. Somos esbofeteados, somos errantes, fatigamo-nos, trabalhando com as nossas próprias mãos. Insultados, abençoamos; perseguidos, suportamos; caluniados, consolamos! Chegamos a ser como que o lixo do mundo, a escória de todos até agora… Não vos escrevo estas coisas para vos envergonhar, mas admoesto-vos como meus filhos muitos amados.

Evangelho (Lc 12, 32-34)

Sequência do Santo Evangelho segundo Lucas.

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: Não temais, pequeno rebanho, porque foi do agrado de vosso Pai dar-vos o Reino. Vendei o que possuís e dai esmolas; fazei para vós bolsas que não se gastam, um tesouro inesgotável nos céus, aonde não chega o ladrão e a traça não o destrói. Pois onde estiver o vosso tesouro, ali estará também o vosso coração.

 

Liturgia Diária- XXIV Domingo depois de Pentecostes

Domingo de 2ª Classe- Missa Própria

vi

As obras divinas obedecem a leis sobrenaturais, que muitas vezes nos desconcertam. A maneira como se desenvolvem é prova do seu caráter divino. São Paulo faz notar isto mesmo aos tessalonicenses, sublinhando o sucesso que a pregação do Evangelho encontrou entre eles. A despeito de dificuldades de toda espécie, as conversões deram-se em grande número, e o ardor da fé dos convertidos é, em toda parte, apontado como exemplo. O Espírito Santo operou entre eles visivelmente, com todo o impulso da sua ação regeneradora. As parábolas do grão de mostarda e do fermento relevam este mesmo pensamento. Trazida do mundo por Cristo e propagada pela Igreja, a palavra de Deus opera como o fermento na massa e a semente na terra, e, quando acolhida em almas abertas, desenvolve todo o seu espantoso poder de transformação.

Este contraste entre situações humanas difíceis e surpreendentes resultados espirituais, entre os princípios modestos e crescimentos desproporcionados, é um dos selos da ação divina, tanto na Igreja quanto na vida pessoal dos fiéis.


Páginas 722 a 724 do Missal Quotidiano.


Missa Rezada às 9:30 horas na Capela São Judas Tadeu; e

Missa Cantada às 15:30 horas na Catedral Santa Terezinha.


LEITURAS

Epístola (I Tess. 1, 2-10)


O termos sido objeto de chamamento divino, deve encher-nos de alegria e duma tranquila segurança, na expectativa da última vinda de Cristo.


Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo aos Tessalonicenses.

Irmãos: Não cessamos de dar graças a Deus por todos vós, e de lembrar-vos em nossas orações. Com efeito, diante de Deus, nosso Pai, pensamos continuamente nas obras da vossa fé, nos sacrifícios da vossa caridade e na firmeza da vossa esperança em nosso Senhor Jesus Cristo, sob o olhar de Deus, nosso Pai. Sabemos, irmãos amados de Deus, que sois eleitos. O nosso Evangelho vos foi pregado não somente por palavra, mas também com poder, com o Espírito Santo e com plena convicção. Sabeis o que temos sido entre vós para a vossa salvação. E vós vos fizestes imitadores nossos e do Senhor, ao receberdes a palavra, apesar das muitas tribulações, com a alegria do Espírito Santo, E vós vos fizestes imitadores nossos e do Senhor, ao receberdes a palavra, apesar das muitas tribulações, com a alegria do Espírito Santo, Em verdade, partindo de vós, não só ressoou a palavra do Senhor pela Macedônia e Acaia, mas também se propagou a fama de vossa fé em Deus por toda parte, de maneira que não temos necessidade de dizer coisa alguma. De fato, a nosso respeito, conta-se por toda parte qual foi o acolhimento que da vossa parte tivemos, e como abandonastes os ídolos e vos convertestes a Deus, para servirdes ao Deus vivo e verdadeiro, e aguardardes dos céus seu Filho que Deus ressuscitou dos mortos, Jesus, que nos livra da ira iminente.

Evangelho (Mt 13, 31-35)


Entre as parábolas do reino, a do grão de mostarda e a do fermento anunciam o maravilhoso progresso da Igreja, até o fim dos tempos.


Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: Naquele tempo, Jesus em seguida, contou-lhes esta parábola: O Reino dos céus é comparado a um grão de mostarda que um homem toma e semeia em seu campo.É esta a menor de todas as sementes, mas, quando cresce, torna-se um arbusto maior que todas as hortaliças, de sorte que os pássaros vêm aninhar-se em seus ramos.Disse-lhes, por fim, esta outra parábola. O Reino dos céus é comparado ao fermento que uma mulher toma e mistura em três medidas de farinha e que faz fermentar toda a massa.Tudo isto disse Jesus à multidão em forma de parábola. De outro modo não lhe falava,para que se cumprisse a profecia: Abrirei a boca para ensinar em parábolas; revelarei coisas ocultas desde a criação (Sl 77,2).

 

Apêndice – Ecce Homo

Quem não crê como eu é destinado ao inferno. Minha doutrina e a doutrina de Deus são a mesma coisa. Meu julgamento é o julgamento de Deus” (M. Lutero)

Na versão impressa deste livro denominada “Evangélico, graças a Deus!(?)”, o presente apêndice estava ausente por considerar que tanto as colocações ao longo do trabalho como as indicações de leitura (última postagem) seriam satisfatórias. Como a realidade nos mostra que às fontes já quase não se bebe, uma vez que, como li recentemente, na vida de “internautas” há muito face e pouco book, resolvi acrescentar nesta versão digital, como rabeira, umas notas sobre o autor mor da heresia protestante, o homem que pretendeu destruir o Catolicismo substituindo o Altar Mor sacrifical por suas festivas mesas de bate-papo[1]. Sem abandonar o objetivo a que me propus com este estudo, também aqui as informações serão concisas, retiradas de algumas fontes que logo serão fornecidas, para quem tiver a reta intenção da verdade e não tiver preguiça de encontrá-la. Continuar lendo