Liturgia Diária- 20/09/2017

QUARTA-FEIRA DAS QUATRO TÊMPORAS DE SETEMBRO

Festa de 2ª Classe- Missa Própria

As Quatro-Têmporas de Setembro são conjuntamente dias de jejum e momentos de jubilosa ação de graças. Lembram aos judeus a dupla promulgação da Lei, à saída do Egito e depois do cativeiro da Babilônia. Lembram aos cristãos a proteção permanente de Deus concedida ao seu povo, e a sua libertação. A ação de graças pelas colheitas do ano vai unir-se à evocação dos antigos benefícios de Deus. 


Páginas 670 a 675 do Missal Quotidiano.


Missa na Capela São Judas Tadeu às 18:30 horas.


LEITURAS

Leitura (Amós 9, 13-15)


O profeta Amós anuncia a restauração de Israel, depois do exílio, e a sua total reabilitação.


Leitura do profeta Amós.

É isto o que diz o Senhor: “Eis que vêm dias – oráculo do Senhor – em que seguirão de perto o que planta e o que colhe, o que pisa os cachos e o que semeia; o mosto correrá pelas montanhas, todas as colinas se derreterão. Restaurarei então o meu povo de Israel: reconstruirão as cidades devastadas e as habitarão; plantarão vinhas e beberão o seu vinho, cultivarão pomares e comerão os seus frutos. Implantá-los-ei no seu solo, e não serão mais arrancados da terra que lhes dei – oráculo do Senhor, teu Deus.” 

Epístola (Neemias 8, 1-10)


No regresso do exílio, a Lei, de novo solenemente promulgada, torna-se a constituição do povo e a garantia das bençãos de Deus.


Leitura do profeta Neemias. 

Naqueles dias, todo o povo se reuniu , como um só homem, na praça que ficava diante da porta das Águas, e pediu a Esdras, o escriba, que trouxesse o livro da Lei de Moisés, que o Senhor havia prescrito a Israel. O sacerdote Esdras trouxe a lei diante da assembléia de homens, mulheres e de todas (as crianças) que fossem capazes de compreender. Era o primeiro dia do sétimo mês. Esdras fez então a leitura da lei, na praça que ficava diante da porta da Água, desde a manhã até o meio-dia, na presença dos homens, mulheres e das (crianças) capazes de compreender; todos escutavam atentamente a leitura. O escriba Esdras postou-se num estrado de madeira que haviam construído para a ocasião; a seu lado encontravam-se, à direita, Matatias, Semeías, Anias, Urias, Helcias e Maasias; à esquerda, Fadaías, Misael, Melquias, Hasum, Hasbadana, Zacarias e Mosolão. Esdras abriu o livro à vista do povo todo; ele estava, com efeito, elevado acima da multidão. Quando o escriba abriu o livro, todo o povo levantou-se. Esdras bendisse o Senhor, o grande Deus; ao que todo o povo respondeu, levantando as mãos: Amém! Amém! Depois inclinaram-se e prostraram-se diante do Senhor com a face por terra. E Josué, Bani, Serebias, Jamin, Acub, Seftai, Odias, Maasias, Celita, Azarias, Josabed, Hanã, Falaías e outros levitas explicavam a lei ao povo, e cada um ficou no seu lugar. Liam distintamente no livro da lei de Deus, e explicavam o sentido, de maneira que se pudesse compreender a leitura. Depois Neemias, o governador, Esdras, sacerdote e escriba, e os levitas que instruíam o povo, disseram a toda a multidão: Este é um dia de festa consagrado ao Senhor, nosso Deus; não haja nem aflição, nem lágrimas. Porque todos choravam ao ouvir as palavras da lei. Neemias disse-lhes: Ide para as vossas casas, fazei um bom jantar, tomai bebidas doces, e reparti com aqueles que nada têm pronto; porque este dia é um dia de festa consagrado ao nosso Senhor; não haja tristeza, porque a alegria do Senhor será a vossa força.

Evangelho (Mc 9, 16-28)


Toda a doação a Deus supõe a expulsão de Satanás; é obra do próprio Deus e das armas espirituais, que a oração e o jejum nos fornecem.


Sequência do Santo Evangelho segundo Marcos. 

Naquele tempo, um homem dentre a multidão disse a Jesus: Mestre, eu te trouxe meu filho, que tem um espírito mudo. Este, onde quer que o apanhe, lança-o por terra e ele espuma, range os dentes e fica endurecido. Roguei a teus discípulos que o expelissem, mas não o puderam. Respondeu-lhes Jesus: Ó geração incrédula, até quando estarei convosco? Até quando vos hei de aturar? Trazei-mo cá! Eles lho trouxeram. Assim que o menino avistou Jesus, o espírito o agitou fortemente. Caiu por terra e revolvia-se espumando. Jesus perguntou ao pai: Há quanto tempo lhe acontece isto? Desde a infância, respondeu-lhe. E o tem lançado muitas vezes ao fogo e à água, para o matar. Se tu, porém, podes alguma coisa, ajuda-nos, compadece-te de nós! Disse-lhe Jesus: Se podes alguma coisa!… Tudo é possível ao que crê. Imediatamente exclamou o pai do menino: Creio! Vem em socorro à minha falta de fé! Vendo Jesus que o povo afluía, intimou o espírito imundo e disse-lhe: Espírito mudo e surdo, eu te ordeno: sai deste menino e não tornes a entrar nele. E, gritando e maltratando-o extremamente, saiu. O menino ficou como morto, de modo que muitos diziam: Morreu… Jesus, porém, tomando-o pela mão, ergueu-o e ele levantou-se. Depois de entrar em casa, os seus discípulos perguntaram-lhe em particular: Por que não pudemos nós expeli-lo?”

Anúncios

Liturgia Diária- 19/09/2017

SÃO JANUÁRIO E COMPANHEIROS, Bispo e Mártires

Festa de 3ª Classe- Missa “Salus Autem” com evangelho próprio

1-januarius-_girolamo_pesce-1767

São Januário e seus Companheiros mártires foram martirizados durante a perseguição de Diocleciano. São Januário, padroeiro da cidade de Nápoles e bispo de Beneventum , foi decapitado com seus diáconos e alguns outros. Na grande igreja em Nápoles são preservados um pouco do sangue de São Januário (também chamado de St. Gennaro ) em dois frascos de vidro, e também a cabeça. O sangue é congelado , mas a cada ano até o presente, ele se liquefaz quando colocado perto da cabeça do mártir. Este milagre foi verificado tanto por cientistas quanto por muitas pessoas piedosas e aprendidas . O cardeal Schuster, Arcebispo de Milão, foi capaz de observá-lo de perto e, como outros que estudaram isso, foi obrigado a confessar que não parece haver nenhuma explicação possível natural deste evento. Pode ser que desta forma Deus tem o prazer de mostrar ao povo de Nápoles que o sangue de seu grande Padroeiro ainda está ativo e poderoso aos olhos do Senhor, e também que, para com Deus, não há passado, mas tudo está presente e vive à Sua vista.

LEITURAS

Epístola (Heb. 10,32-38)

Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo aos Hebreus.

Irmãos: Lembrai-vos dos dias de outrora, logo que fostes iluminados. Quão longas e dolorosas lutas sustentastes. Seja tornando-vos alvo de toda espécie de opróbrios e humilhações, seja tomando moralmente parte nos sofrimentos daqueles que os tiveram que suportar. Não só vos compadecestes dos encarcerados, mas aceitastes com alegria a confiscação dos vossos bens, pela certeza de possuirdes riquezas muito melhores e imperecíveis. Não percais esta convicção a que está vinculada uma grande recompensa, pois vos é necessária a perseverança para fazerdes a vontade de Deus e alcançardes os bens prometidos. Ainda um pouco de tempo – sem dúvida, bem pouco -, e o que há de vir virá e não tardará. Meu justo viverá da fé. Porém, se ele desfalecer, meu coração já não se agradará dele (Hab 2,3s).

Evangelho (Mt 24, 3-13)

Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus.

Naquele tempo, indo Jesus assentar-se no monte das Oliveiras, achegaram-se os discípulos e, estando a sós com ele, perguntaram-lhe: Quando acontecerá isto? E qual será o sinal de tua volta e do fim do mundo? Respondeu-lhes Jesus: Cuidai que ninguém vos seduza. Muitos virão em meu nome, dizendo: Sou eu o Cristo. E seduzirão a muitos. Ouvireis falar de guerras e de rumores de guerra. Atenção: que isso não vos perturbe, porque é preciso que isso aconteça. Mas ainda não será o fim. Levantar-se-á nação contra nação, reino contra reino, e haverá fome, peste e grandes desgraças em diversos lugares. Tudo isto será apenas o início das dores. Então sereis entregues aos tormentos, matar-vos-ão e sereis por minha causa objeto de ódio para todas as nações. Muitos sucumbirão, trair-se-ão mutuamente e mutuamente se odiarão. Levantar-se-ão muitos falsos profetas e seduzirão a muitos. E, ante o progresso crescente da iniquidade, a caridade de muitos esfriará. Entretanto, aquele que perseverar até o fim será salvo.

 

Liturgia Diária- 18/09/2017

SÃO JOSÉ DE CUPERTINO, Confessor

Festa de 3ª Classe- Missa Própria

São José de Cupertino, frade franciscano da Itália, nasceu em 17 de junho de 1603. A festa deste glorioso filho da Ordem de São Francisco de Assis foi tornada universal em toda a Igreja por um Papa da mesma Ordem, o Papa Clemente XIV. São José é famoso por sua simplicidade evangélica e por seus êxtases. Toda a missa atribuída a ele traz o lado místico de sua santidade quando ele foi visto por muitos, levitando acima do altar. Teve uma morte feliz em Orsino em 18 de setembro de 1663, como ele mesmo havia previsto.

LEITURAS

Epístola (I Cor. 13, 1-8)

Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo aos Coríntios.

Irmãos: ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver caridade, sou como o bronze que soa, ou como o címbalo que retine. Mesmo que eu tivesse o dom da profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência; mesmo que tivesse toda a fé, a ponto de transportar montanhas, se não tiver caridade, não sou nada. Ainda que distribuísse todos os meus bens em sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, se não tiver caridade, de nada valeria! A caridade é paciente, a caridade é bondosa. Não tem inveja. A caridade não é orgulhosa. Não é arrogante. Nem escandalosa. Não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não guarda rancor. Não se alegra com a injustiça, mas se rejubila com a verdade. Tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. 8.A caridade jamais acabará. As profecias desaparecerão, o dom das línguas cessará, o dom da ciência findará.

Evangelho (Mt 22, 1-14)